You seem to be located in .

Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.

A melhor opção

Até outras soluções, como a eletrificação, se tornarem mais viáveis, os biocombustíveis são a melhor e, em alguns casos, a única opção disponível para reduzir substancialmente as emissões de carbono a curto prazo.

A Scania desenvolve e fornece o maior portefólio de motores do mercado que funcionam com alternativas aos combustíveis fósseis, desde camiões e autocarros a etanol até veículos que utilizam biogás liquefeito ou comprimido. Todos os nossos motores Euro 5 e 6 podem funcionar a óleo vegetal hidrotratado (HVO), enquanto quase todos os nossos veículos podem funcionar a biodiesel FAME. Temos vindo a desenvolver este portefólio há mais de 25 anos, tendo começado com os autocarros movidos a etanol na década de 1990.

 

No setor de transportes, os biocombustíveis podem dar um contributo quase instantâneo para a descarbonização. Segundo o Pathways Study, o aumento do uso destes combustíveis renováveis é o caminho mais rápido para conseguir as maiores reduções de emissões de carbono a curto prazo.

 

O fornecimento limitado de biogás continua a ser um desafio para o setor dos transportes. Até esta questão ser resolvida, o gás natural continuará a desempenhar um papel importante no sistema de transportes sustentável, uma vez que nos permite aumentar o volume de mercado dos veículos a gás e, assim, fomentar a adoção de soluções de gás. Entretanto, estamos a trabalhar com vários parceiros para melhorar a infraestrutura de fornecimento de biogás para poder ser ampliada rapidamente.

HVO
 

O Óleo Vegetal Hidrogenado – HVO – é uma forma moderna de produzir combustíveis diesel com base biológica de alta qualidade sem comprometer a logística do combustível, os motores, os dispositivos de pós-tratamento de gases de escape ou as emissões de gases de escape.

O HVO pode ser feito a partir de diferentes origens – como óleo usado, óleo de colza, óleo de palma e gordura animal. A utilização destas fontes de energia tem um enorme impacto no total de poupanças nas emissões de gases com efeito de estufa. Em comparação com o diesel padrão, uma redução de CO2 ideal pode atingir até 90%.

 

Biodiesel
 

O biodiesel (ou FAME - Fatty Acid Methyl Ester, éster metílico de ácidos gordos) pode ser produzido a partir de várias origens como sementes de colza, plantas e óleo alimentar usado. O biodiesel tem também a vantagem de ser um líquido, disponível em grandes quantidades.

O fornecimento de biodiesel sustentável está a ser utilizado sobretudo para misturar com diesel ou 100% puro. Em comparação com o diesel padrão, uma redução de CO2 ideal está estimada em até 85%.

 

Biogás
 

O biogás pode ser produzido a partir de várias origens, mas a mais sustentável e eficaz em termos de custos é a utilização de unidades de tratamento de resíduos e esgotos locais. O biogás é constituído pela mesma molécula do gás natural, mas o biogás é renovável e o gás natural é fóssil. Os dois podem ser utilizados em paralelo.

 

Gás natural
 

O gás natural é gás metano que se encontra em bolsas na crosta terrestre. É extraído de depósitos de gás distintos ou durante a extração de petróleo. O gás natural é um combustível fóssil, mas como a molécula de metano contém apenas um átomo de carbono, a quantidade de CO2 emitida durante a combustão é menor em comparação com um motor diesel padrão.

 

Bioetanol
 

O bioetanol é atualmente o biocombustível mais utilizado nos transportes. É também o combustível com maior capacidade para conseguir fornecer volumes grandes e sustentáveis no futuro. Uma das principais vantagens é o facto de ser líquido e de estar disponível globalmente em grandes volumes.

Pode ser produzido a partir de uma variedade de matérias-primas como cana de açúcar, trigo e milho. Também pode ser utilizado amido ou resíduos ricos em açúcar como celulose ou pão. Além disso, o bioetanol é comparativamente fácil de produzir, mesmo em pequena escala. Em comparação com o diesel padrão, uma redução de CO2 ideal está estimada em atingir até 90%.

 

Híbrido
 

O híbrido funciona a energia elétrica, em combinação com diesel/biocombustível. Isso reduz imenso o consumo de combustível, o que, por sua vez, resulta em menos emissões. Também reduz o ruído, proporcionando ao veículo híbrido benefícios especiais, como a possibilidade de condução em cidades durante a madrugada ou durante toda a noite.

Entregas em horas de menos movimento têm várias vantagens, como a redução do tempo de condução, do consumo de combustível e das emissões de CO2. Também aumenta a utilização do veículo. Em comparação com o diesel padrão, uma redução de CO2 ideal pode atingir até 90%.

 

Híbrido plug-in
 

A versão plug-in significa que o camião está sempre pronto a começar o trabalho – totalmente carregado. E depois pode receber um carregamento adicional durante o turno do motorista, enquanto o camião está parado para carga ou descarga ou enquanto descansa.

Esta combinação entre transmissão elétrica e um motor tradicional reduz o consumo de combustível, o que representa níveis de emissões e de ruído mais reduzidos. A versão híbrida apresenta uma redução de emissões de CO2 na ordem dos 90% em comparação com o diesel normal (na combinação híbrido e HVO).