You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Portugal
region sprzedaży
Production units

Série L

A série L está atualmente a fazer a sua estreia na oferta da nova geração de camiões Scania para ambientes citadinos e urbanos. A série L está no seu elemento na cidade e na área circundante desta, independentemente de envolver ou não aplicações nos sectores da distribuição, da recolha de lixo ou da construção.

“Pode dizer-se que a série L é a joia da coroa da nossa oferta urbana,” declara
Henrik Eng, Product Director, Urban, Scania Trucks. “A série L tem precisamente as
características exigidas para a distribuição e para aplicações que, mais
frequentemente do que se poderia inicialmente pensar, operam sobretudo em meio
urbano, com tráfego intenso, onde muitos utilizadores diferentes da estrada têm de
partilhar o seu espaço.”

Utilizações inovadoras
“Existe uma clara tendência para cabinas com entrada rebaixada e que
tradicionalmente eram utilizadas sobretudo em camiões de recolha de lixo, mas que
agora estão a ter uma aplicação cada vez mais frequente,” acrescenta Eng. “Há
cerca de uma década, muitas pessoas ter-se-iam surpreendido com um camião
basculante com uma cabina de entrada rebaixada, mas em breve essa será uma
visão usual em algumas grandes cidades. As concessões que precisa de fazer em
termos de distância ao solo e de ângulos de ataque são compensadas pelas
vantagens daqueles que conduzem principalmente na cidade, permitindo-lhes um
melhor nivelamento com o terreno à sua volta.”
Eng afirma que há muito interesse em fazer a mudança para veículos de entrada
rebaixada, dado a maior atenção à sustentabilidade, fomentada em especial pelas
autoridades locais.

“Estão legitimamente a exigir que os camiões têm de ser modernizados para se
adaptarem ao serviço,” afirma. “Um camião basculante com uma Janela Scania de
Segurança na Cidade na porta do passageiro e um motor silencioso, a gás
biometano, é muito mais bem-vindo nas ruas de Londres do que os veículos
tradicionais. O facto é que as zonas com maiores requisitos em termos de ruído, de
regras sobre emissões e de interação com outro tipo de tráfego, parecem estar a
banir os tradicionais camiões basculantes para aplicações que não se encontram em plena cidade.”

Dispositivo de ajoelhamento da Série L
As cabinas da série L têm sempre 20 decímetros de comprimento e estão
disponíveis com três alturas de tejadilho: baixo, normal e elevado. Se encomendar
uma cabina com dispositivo de ajoelhamento (ativado automaticamente através do
travão de mão) esse é exatamente um passo para entrar na cabina através de um
poço no pavimento – a distancia do pavimento ao solo da cabina, é então de cerca
de 80 centímetros (dependendo em certa medida da escolha dos pneus). Além de
ser baixo, o degrau de acesso tem também 79 centímetros de largura. Sem o
dispositivo de ajoelhamento são necessários dois degraus de acesso, acabando a
altura por ser de 93 centímetros.

Ambos os lados da cabina têm a mesma altura de degrau de acesso. Também é fácil a movimentação dentro da cabina – para evitar, por exemplo, sair da cabina para a rua – através de uma ligação em frente do túnel do motor. A série L é propulsada por um atualizado motor Scania de 9 litros, , disponível com três níveis de potência diferentes para diesel. Durante o ano de 2018, a Scania irá também acrescentar o seu motor a gás OC09, com dois níveis de potência (tanto para GNC como para GNL) para a gama de motores utilizada na série L. Todos os motores podem ser combinados com o Scania Opticruise ou com uma caixa de velocidades automática Allison.

“Com um aspeto ligeiramente mais suave, este tipo de camião, que não é tão alto
como os outros, é mais apreciado em ambientes urbanos,” refere Eng. “Não é só o
aspeto, mas o facto de os condutores estarem ao nível dos outros utilizadores da
estrada e poderem estabelecer contacto com eles. Para os próprios condutores é
também uma questão de melhor ergonomia, em especial se tiver de entrar e sair
com frequência da cabina.”

Uma outra vantagem da série L da Scania é que, em modo de marcha, com uma
especificação normal, continua a proporcionar uma distância ao solo de cerca de 24
centímetros, na parte da frente. Os construtores de carroçarias também estão bem
servidos: a carroçaria pode começar com uma linha imaginária, a partir de 42
centímetros por detrás do centro do eixo dianteiro.

Uma janela de visibilidade segura
Uma grande inovação no campo da segurança é o facto de a Scania estar
atualmente a apresentar a opção de uma Janela Scania de Segurança na Cidade na
porta do passageiro, em todas as suas versões das cabinas P e L. Uma janela em
posição baixa na porta do passageiro aumenta a capacidade do condutor para
detetar utilizadores vulneráveis da estrada, como crianças, ciclistas e peões, na
proximidade imediata do camião.
“Para condutores que operam muitas vezes em ambientes urbanos, uma janela na
porta proporciona margens de segurança maiores e reduz significativamente os
níveis de stress,” refere Eng. “As soluções que envolvem câmaras e sensores não
reduzem de forma alguma a importância de poder ver e mesmo estabelecer contacto
visual com os outros utilizadores da estrada. Qualquer elemento que ajude a
aumentar a visibilidade do condutor poderá ter uma importância decisiva para quem
fica preso no trânsito.”

A Janela Scania de Segurança na Cidade é aquecida e pode ser encomendada para
a porta do passageiro de todas as cabinas P e L, as utilizadas mais frequentemente
em aplicações urbanas, como a distribuição, a recolha de lixo e os diferentes
veículos de manutenção. Se essa for a sua opção, existem algumas restrições para
a abertura da janela lateral normal da porta. Mas isso tem pouca importância, porque
a janela do lado do condutor é a que é utilizada para funções como entrega de
livres-trânsitos, documentos de expedição, etc.
“Do ponto de vista da sustentabilidade não há nada mais importante do que
minimizar o impacto dos camiões sobre o ambiente,” refere Eng. “A Janela Scania
de Segurança na Cidade é um exemplo brilhante de que são as medidas altamente
concretas que fazem a diferença, aqui e agora.”