You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Portugal
region sprzedaży
Production units

A Scania e a eletrificação: uma abordagem multifacetada

Sem uma solução “única', estamos a explorar algumas tecnologias sustentáveis.

A resposta da Scania à necessidade de uma solução de transporte mais sustentável, com veículos elétricos, envolve várias áreas de investigação diferentes.

“A nossa filosofia consiste em adotar uma abordagem mais ampla quando se trata de investigar todas as tecnologias sustentáveis, em vez de colocar todos os ovos no mesmo cesto," declara Nils-Gunnar Vagstedt, que lidera todo o trabalho da Scania na área da tecnologia de eletrificação.

 

13308-003

Como roteiro da eletrificação, a Scania está a adotar uma abordagem multifacetada, incluindo a investigação de diferentes tipos de tecnologias híbridas a biocombustível e veículos totalmente elétricos. O debate público muitas vezes considera erradamente os veículos elétricos com bateria como a única opção de veículos totalmente elétricos, mas na nossa investigação e desenvolvimento também trabalhamos com veículos totalmente elétricos, movidos por células de combustível alimentadas a hidrogénio e veículos totalmente elétricos que podem ser carregados através de estradas eletrificadas. Vågstedt salienta que não existe uma solução ‘única'.

Scania e a estrada eletrificada

A estrada eletrificada é um dos projetos de eletrificação mais interessantes da Scania. Desde junho de 2016 que uma faixa de dois quilómetros da autoestrada E16, fora da cidade sueca de Gävle, está a operar no âmbito de um projeto em curso com uma parceira de infraestruturas Siemens.

Nessa autoestrada, os camiões Scania estão equipados com um coletor de energia por pantógrafo, que está montado na armação por detrás da cabina. Os pantógrafos estão, por sua vez, ligados a linhas aéreas que passam por cima da faixa do lado direito da estrada Os camiões podem livremente ligar-se e desligar-se das linhas aéreas quando estão em movimento e carregar as baterias nos camiões que estão equipados com um grupo motopropulsor híbrido elétrico.

 

16179-015

Embora os dois camiões Scania tenham funcionado com êxito na estrada, Vågstedt gostaria de vê-los a atuar em condições mais difíceis.

“O inverno passado foi muito suave, mas esperamos que este inverno seja mais duro, para podermos pôr esta tecnologia verdadeiramente à prova.”

A Suécia e a Alemanha estão a trabalhar para um futuro sustentável

O projeto da estrada elétrica já chamou a atenção internacional e estão programadas novas demonstrações da tecnologia na Alemanha, numa extensão ainda maior.

O projeto obteve um verdadeiro selo de aprovação em 2017, quando a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro sueco Stefan Löfven se reuniram para lançar uma nova parceria de inovação entre a Suécia e a Alemanha, focada na “Inovação e na Cooperação para um Futuro Sustentável".

“Um foco importante desta cooperação será testar e desenvolver ainda mais as oportunidades oferecidas pela tecnologia da estrada eletrificada, trabalho que já iniciámos em cooperação com a Siemens”, acrescenta Vågstedt.

 

 

img-8745

As parcerias são essenciais para o transporte sustentável

Vågstedt acredita firmemente que as parcerias são outro ingrediente-chave do processo, para dar resposta aos desafios de desenvolver um transporte verdadeiramente sustentável.

“A grande escala do desafio das soluções de transporte com baixo teor de carbono e das soluções possíveis significa que a Scania vê as parcerias como a única forma de a indústria dos transportes poder tornar-se sustentável. Não podemos trabalhar isoladamente”.

A Scania está a trabalhar com as autarquias, os meios académicos, as empresas privadas, os fornecedores de infraestruturas e os fornecedores de combustíveis e energia, num esforço para alcançar soluções viáveis de transporte sustentável.

“Do ponto de vista da Scania é importante impormos aos nossos parceiros o mesmo grau de exigência que impomos a nós próprios, quando se trata da nossa cooperação e de atividades conjuntas”, diz ainda Vågstedt.

“O trabalho deve sempre basear-se em opções sustentáveis”.