You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Portugal
region sprzedaży
Production units

Transgesa enfrenta o trânsito e as regras sobre emissões em Madrid

Em Madrid, a frenética capital espanhola, as transportadoras têm dificuldade em acompanhar as exigentes restrições sobre emissões e diesel. Para a empresa de transportes Transgesa, o camião Scania G 340 alimentado a GNL permite vislumbrar as futuras possibilidades da distribuição urbana.

Com mais de 4,4 milhões de veículos nas estradas e engarrafamentos que por vezes parecem intermináveis, a infraestrutura de transportes da região de Madrid está em expansão mas é inadequada. Há ainda a grave poluição atmosférica, com matéria particulada e poluentes de óxido de azoto que com regularidade excedem em muitas vezes os níveis recomendados. Quando levamos também em consideração que as autoridades regionais estão a planear erradicar os transportes a diesel até 2025, os desafios para os distribuidores urbanos são imensos.

Camião a GNL permitido em zonas restritas

Neste ambiente, a empresa de transporte Transgesa efetua entregas diárias em toda a região, incluindo o centro urbano. A empresa utiliza um camião Scania a gás natural liquefeito (GNL), sendo permitido aceder a zonas que muitas vezes estão interditas aos camiões convencionais.

"Naturalmente, enfrentamos grandes desafios ao efetuar entregas nas grandes cidades, especialmente nos centros urbanos, devido às restrições crescentes", refere Erwin Alberts, Diretor de Operações da Transgesa. "Torna-se mais complexo a cada ano, pois enfrentamos requisitos de acesso crescentes com base no tipo de veículo e de combustível. Isto tem definitivamente impacto nas nossas operações."

Madrid-19

Distribuição urbana em ruas estreitas e movimentadas

Com uma frota de camiões de longo curso e de distribuição, a Transgesa é uma franquiada da rede nacional Palibex em Madrid, agrupando empresas de transporte locais sob uma marca comum para efetuar entregas coordenadas em toda a Península Ibérica. A Transgesa opera também serviços de transporte sob marca própria.

O dia do motorista Carlos "Chilaba" Fernández começa habitualmente no armazém da Palibex no sul de Madrid, onde carrega as entregas do dia com destino ao centro da cidade. 

"As manhãs são para recolhas e entregas e as tardes para cobranças", refere. "Temos mesmo de evitar as horas de ponta da manhã e a azáfama do meio do dia para não ficarmos presos no trânsito. As ruas estreitas constituem um desafio e é difícil entrar em alguns lugares. 

"Mas isso nem é o pior. O pior são as descargas através dos portões de carga ao nível do passeio dos armazéns. E Madrid está cheia de bicicletas, skates e, claro, motocicletas, que constituem o maior perigo pois ziguezagueiam de forma perigosa através do trânsito."

Proibição do diesel em Madrid significa mais veículos com combustíveis alternativos

As restrições de trânsito, acidentes e engarrafamentos constituem uma dor de cabeça diária para os planeadores de trânsito da Transgesa. "Exigem alguma imaginação e inteligência por parte dos nossos departamentos de planeamento e trânsito, uma vez que em algumas zonas temos de cumprir regras e restrições", explica Alberts. "De um ponto de vista operacional, sem dúvida que nos coloca dificuldades."

A Transgesa acredita que o setor sofrerá alterações fundamentais nos próximos anos, antes de a proibição do diesel entrar em vigor em Madrid. "Estes anos vão ser fantásticos porque nós e os nossos concorrentes teremos de nos adaptar à nova legislação, mais restritiva. Teremos de efetuar investimentos noutros tipos de veículos e formar as nossas equipas para que cumpram as futuras restrições."

Alberts está também convencido de que a futura proibição induzirá novos modelos de negócio, especialmente no que respeita às entregas de proximidade, que se espera aumentarão com o crescimento continuado do comércio eletrónico. "Haverá uma maior colaboração entre os diversos transportadores para reduzir o número de veículos no centro urbano."

Madrid-12

Scania ajuda a Transgesa a satisfazer as exigências dos clientes

Embora anteriormente os clientes estivessem relutantes em suportar o custo adicional dos transportes ecológicos, as atitudes estão a mudar, diz Alberts. "Atualmente, temos cada vez mais clientes que exigem que os fornecedores de transporte demonstrem o seu investimento em veículos ecológicos. As empresas maiores consideram que este fator acrescenta valor."

Nesta transição para um novo modelo de distribuição urbana, a Scania é um parceiro valioso da Transgesa. "A tecnologia da Scania proporciona-nos determinadas vantagens ao serviço dos nossos clientes. Ao enfrentarmos a necessidade de um maior investimento, o acréscimo de eficiência e fiabilidade será ainda mais importante."