You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Portugal
region sprzedaży
Production units

Enfrentar a "corrida de obstáculos" de Barcelona com a A.T. Robles

No transporte de mercadorias de um armazém de última geração na cidade catalã de Abrera para as estreitas e movimentadas ruas de Barcelona, a transportadora A.T. Robles utiliza um camião Scania a gás liquefeito para responder aos desafios passados e futuros desta cidade fervilhante.

O fornecimento diário de mercadorias a Barcelona constitui um complicado exercício de logística que exige experiência, habilidade e conhecimento dos traçados urbanos. Exige também um sistema altamente sofisticado para o transporte das mercadorias entre os modernos armazéns dos arredores da cidade e os locais de entrega no centro. É precisamente isso que o maior revendedor alimentar de Espanha, a Mercadona, desenvolveu, com a ajuda da transportadora local A.T. Robles e da Scania.

Barcelona-20

Janela de carga de cinco minutos

Numa determinada segunda-feira de manhã, o motorista da A.T. Robles José Manuel Carballo estaciona o seu camião Scania a gás liquefeito em Abrera. Tem de chegar durante uma janela exata de cinco minutos para descarregar materiais de reciclagem antes de carregar o camião com mercadorias secas num terminal pré-selecionado. Com a totalidade do conteúdo esvaziado e reabastecido a cada oito horas, o gigantesco complexo logístico funciona como um relógio gigante, sendo esperado que os motoristas estejam no local certo, à hora certa.

Quando o camião é esvaziado, limpo e reabastecido, Carballo enceta a viagem de 40 quilómetros até ao supermercado Mercadona na Carrer del Duero. Em contraste com as vastas instalações de carga do armazém, a distribuição urbana na região metropolitana de Barcelona constitui um desafio diário. Com quase um milhão de veículos competindo pelo espaço limitado das ruas, mais de 20.000 camiões e o dobro das carrinhas enfrentam constantemente problemas de trânsito.

um investimento no futuro

A utilização de um camião Scania a gás liquefeito constitui um investimento no futuro para a A.T. Robles. Barcelona talvez seja menos conhecida pelas restrições de trânsito do que Madrid, a capital espanhola, mas os seus objetivos de pureza do ar são igualmente ambiciosos, como a meta de reduzir a poluição em 30% para cumprir as normas da Organização Mundial de Saúde.

Na verdade, Barcelona foi a primeira cidade espanhola a implementar um sistema de classificação das emissões para os veículos que entram no centro urbano. Um sistema de CCTV identifica o desempenho de cada veículo ao nível das emissões, comparando as chapas de matrícula com a base de dados nacional de matrículas de veículos.

"O camião a gás oferece vantagens em termos de emissões de partículas. Dá-nos acesso à cidade quando as restrições de trânsito são ativadas, permitindo ainda reduzir o preço do combustível", refere Albert Esteve Calderó, proprietário da A.T. Robles e diretor executivo da empresa.

"Os desafios mais importantes que enfrentamos no processo de distribuição urbana estão diretamente relacionados com o trânsito. Encontramos engarrafamentos, acidentes, restrições ao trânsito… Estão a ver? Quando entramos na cidade, a distribuição é uma corrida de obstáculos."

Albert Esteve Calderó

Proprietário e diretor executivo, A.T. Robles

O trânsito torna a distribuição urbana numa "corrida de obstáculos"

Independentemente do combustível, os camiões têm de lidar com o intenso trânsito de Barcelona. Durante as horas de ponta da manhã e do final da tarde, as viagens demoram 50% mais tempo - e este número tem vindo a aumentar.

"Inicialmente há engarrafamentos, autocarros e, claro, outros camiões. Quando chegamos ao centro da cidade o trânsito torna-se denso, com muitas motorizadas, bicicletas e peões, que podem surgir de qualquer lado", diz Esteve Calderó. Ele está convencido de que a distribuição se tornará num desafio ainda mais complicado nos próximos anos. "É muito arriscado especular sobre os desenvolvimentos dos próximos cinco a dez anos. As mudanças ocorrem tão depressa que ninguém as consegue antecipar. Mas é quase certo que a regulamentação será reforçada e que a gama de combustíveis tenderá a aumentar."