You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Brasil
region sprzedaży
Production units

Scania comemora 100 anos de produção de motores marítimos

A Scania está comemorando 100 anos de produção de motores marítimos. O primeiro barco a receber um motor Scania foi um bote sueco para lazer, no ano de 1902. Com quatro cilindros em linha, o motor desenvolvia apenas 24 cavalos de potência. Hoje, a Scania produz modelos que chegam a 800 cavalos de potência.

Os motores Scania equipam, no Brasil, aproximadamente 6 mil embarcações, entre barcos de lazer, de pesca e de transporte marítimo dos mais variados tipos. A marca Scania chegou ao País em 1957 para produzir e comercializar caminhões pesados, ônibus e motores industriais e marítimos. Um barco de pesca com 54 pés (cerca de 18 metros de comprimento) foi a primeira embarcação brasileira a receber, em 1960, um motor marítimo da marca. "A Scania é a única empresa com um projeto próprio para motores marítimos de elevada potência a fabricar seus produtos no País", informa José Hamilton Sangiuliano, diretor da Unidade de Negócios de Motores Industriais e Marítimos da Scania.

Lançado em 1999 no Brasil, o motor marítimo de 12 litros, modelo DI 12, com duas versões para embarcações de lazer, de 600 cavalos e 675 cavalos de potência, é um dos motores mais compactos do mercado, com apenas 999 milímetros de altura e 1.150 quilos de peso. Um sistema eletrônico de gerenciamento, chamado DEC 2, controla as principais funções, garantindo excelente desempenho e baixo custo operacional. A Scania também comercializa no Brasil o modelo DI 14, importado da matriz, na Suécia, com 800 cavalos de potência. Esse motor é indicado para barcos de 41 a 70 pés (entre 14 e 21 metros).

Em 2001, o Brasil ocupou o primeiro lugar entre todos os mercados de motores da Scania no mundo. Foram vendidos no País 2.042 motores industriais e marítimos. A rede de assistência da Scania no País chega a mais de 100 postos de serviço, boa parte deles estrategicamente espalhados pela costa brasileira e regiões com grande navegação fluvial, como o rio Amazonas.