You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Brasil
region sprzedaży
Production units

Em Copenhague, o silêncio é ouro.

A cidade de Copenhague estabeleceu a meta ambiciosa de se tornar em 2025 a primeira capital neutra em carbono do mundo. É por isso que a empresa alimentícia dinamarquesa Netto usa o caminhão Scania da série P movido a biodiesel.

Esta solução única da Scania, que traz o duplo benefício de baixar as emissões de CO2 e também os níveis de ruído, significa que a Netto é uma das poucas empresas com permissão para fazer entregas urbanas em Copenhague à noite, horário em que normalmente a empresa seria proibida de trafegar.

Lars Petersen, CEO da transportadora KP Logistik da Netto, crê que os caminhões híbridos elétricos movidos a biodiesel podem ser a ponte para a futura operação de frotas inteiramente eletrificadas em uma Copenhague livre de combustíveis fósseis.

"À medida que mais e mais transportadoras investirem nessa tecnologia, ela também será mais barata e mais acessível."

Lars Petersen

CEO, KP Logistik

entrega no início da manhã e em noite alta

A KP Logistik transporta alimentos refrigerados e secos para os supermercados Netto na Dinamarca e na Alemanha. Com o caminhão Scania híbrido elétrico da série P, a empresa pode entregar produtos frescos em noite alta e bem cedo na manhã, enquanto a maioria dos habitantes da cidade descansa. 

Antes, devido às restrições de ruído e tráfego no centro de Copenhague, a Netto só podia entregar após as 7 horas. Agora, o início de madrugada significa entregas mais rápidas, pois os caminhões híbridos da Scania podem descarregar antes da hora do rush matinal. As entregas à noite também ajudam a baixar o nível de estresse dos motoristas, pois eles podem evitar os prazos estreitos de entrega com o tráfego pesado.

HVO, o "combustível ideal" para redução do CO2

Talvez o mais importante seja que o caminhão Scania híbrido elétrico da série P habilita a Netto a fazer entregas quase silenciosas, sem perturbar quem reside no centro da cidade.

"Queríamos testar esta nova tecnologia para aprender e ver os custos em comparação com os veículos de distribuição tradicional. Sabemos que o investimento é bem alto neste momento, já que ainda não há tantos caminhões deste tipo. Os custos operacionais também são mais altos, porque o biocombustível, HVO, ainda é muito caro. Porém, para obter os 85 a 87% de redução do CO2, foi necessário escolher o HVO como combustível. Acho que ele é um ótimo combustível para esse propósito", explica Petersen.

Embora o caminhão seja mais caro, Petersen espera recuperar a despesa adicional com um aumento no número de entregas e também com o menor consumo de combustível, graças à operação à noite e na madrugada, quando o tráfego é menos congestionado.

"É claro que tanto nós quanto nosso cliente Netto nos beneficiamos da redução das emissões", atesta. "Nós realmente acertamos em testar esta nova tecnologia."

 

Copenhagen-5

A solução híbrida também oferece melhor quilometragem

"Já testamos o caminhão híbrido da Scania por um ano e podemos ver que dá para conseguir a redução do CO2 prometida. A quilometragem também é melhor que a dos outros caminhões da frota movidos a diesel. Ele faz mais quilômetros por litro. Até agora, tem sido uma experiência positiva. E os motoristas estão muito satisfeitos."

Olhando para o futuro, Petersen acredita que o transporte urbano vai acabar se tornando elétrico, embora ele imagine a transformação ocorrendo gradualmente. "Ainda estamos longe dos caminhões inteiramente elétricos. Acho que esse dia chegará, mas o avanço ainda não é suficiente. A primeira etapa será dos híbridos, como nosso Scania, e gás natural. À medida que mais e mais transportadoras investirem nessa tecnologia, ela também será mais barata."