You seem to be located in .
Vá ao seu site de mercado Scania para mais informações.
Portugal
region sprzedaży
Production units

A Scania apresenta a família de motores de 7 litros para uma maior eficiência e peso reduzido

* Saiba mais sobre a oferta Scania de combustíveis alternativos, num comunicado de imprensa especial.

Até agora foram apresentados quinze motores Euro 6 diferentes, destinados à nova geração de camiões Scania, com potências de 280 CV a 730 CV, que assenta em três famílias diferentes de motores (9, 13 e 16 litros). A Scania está atualmente a avançar para a apresentação de uma quarta família. Os novos motores de 7 litros são os motores mais pequenos para camiões alguma vez fabricados pela Scania desde há décadas, em termos quer de deslocação quer de dimensões exteriores, prevendo-se que sejam procurados não só pelos atuais clientes como também por novos clientes, para aplicações como a distribuição e a recolha de resíduos.

“Com a nossa nova família de motores, estamos a ampliar significativamente a nossa oferta para um número crescente de clientes cuja atividade se desenvolve principalmente em meio urbano,” afirma Henrik Eng, Product Director, Urban, Scania Trucks. “Características como uma redução de 360 kg de peso e uma significativa redução do consumo de combustível vão ao encontro das necessidades de soluções de transporte sustentáveis, típicas das cidades em crescimento. Porém, apesar do formato, isto não significa que tenhamos feito quaisquer concessões quando se trata de características típicas Scania, como desempenho, robustez e tempo de atividade.”

O novo motor de seis cilindros em linha foi desenvolvido em colaboração com a Cummins, um parceiro de longo prazo da Scania no desenvolvimento de motores e componentes. Com boas características de baixas rotações e um turbocompressor
A tecnologia e as ideias subjacentes aos novos motores Scania de 7 litros
“O Scania DC07 baseia-se num bem-conhecido e robusto motor de seis cilindros,” refere Anna Wingren, Assistant Chief Engineer, Scania R&D. “Partindo desse ponto, juntámos o know-how acumulado da Scania sobre motores diesel avançados, incluindo a nossa própria tecnologia, e desenvolvemos uma plataforma Scania que oferece características sem paralelo para aplicações em que os transportadores não exigem um binário acima dos 1200 Nm que este motor proporciona.”

Espera-se que os clientes sejam os transportadores com operações de distribuição urbana e os compradores de transportes cujos camiões fazem trabalhar as cidades modernas, através da gestão de resíduos e dos trabalhos de manutenção e assegurando de outros modos que as rodas continuam a girar. O peso é muitas vezes um desafio neste tipo de aplicações e é também, geralmente, a principal razão pela qual esses clientes renunciam a motores com dimensões superiores a 9 ou 13 litros.

Sistemas de controlo Scania
O motor básico existente tem vindo a ser desenvolvido exaustivamente. A totalidade dos seus sistemas de monitorização e controlo é desenvolvida pela Scania. Além disso, foi alvo da instalação de um turbocompressor totalmente novo e a nova versão utiliza o sistema único de pós-tratamento de gases de escape desenvolvido internamente pela Scania, com SCR, apenas para reduzir as emissões de NOx.

“Partimos de um ponto extremamente favorável, que transformámos agora num verdadeiro motor Scania, sob todos os aspetos,” afirma Wingren. “É silencioso, mantém a filosofia Scania de ‘baixas rotações/binário elevado’ e é eficiente em termos de combustível – a verdade é que até conseguimos exceder os objetivos fixados.”

Wingren explica que o momento mais crítico do projeto foi quando a equipa decidiu usar as unidades de controlo próprias da Scania para obter exatamente as
características certas e assegurar a perfeita integração com o Scania Opticruise e o programa de diagnósticos SDP3.

“Essa decisão permitiu-nos também livrar-nos do sistema EGR e optar por um turbocompressor robusto, de geometria fixa, exatamente como a maioria dos nossos outros motores Scania,” refere Wingren. “Ao todo, há cerca de cem peças novas, em que algumas delasforam concebidas principalmente para irem ao encontro das interfaces com que o sistema modular Scania interage.”

No estilo Scania típico, os novos motores proporcionam o seu melhor binário a partir de rotações tão baixas como 1050 rpm, binário esse que fica disponível até à gama das 1600 rpm. Isto permite uma muito boa manobrabilidade e, tendo em conta as baixas rotações, um potencial de poupança de combustível substancial. E, tal como os seus irmãos maiores, estes motores funcionam com um óleo fino, de baixa fricção, o que contribui também para o admirável baixo consumo de combustível.

Baixo peso
Comparado com o bem conhecido DC09 de cinco cilindros da família Scania – a primeira escolha natural de muitos clientes nas aplicações e no tipo de operação para a qual o DC07 foi concebido – a redução do seu peso é significativa. Este motor pesa menos 360 kg, que podem ser convertidos em carga útil, desde que todas as demais características se mantenham. Porém, e de acordo com o modo como a Scania vê as coisas e otimiza os veículos, não há nada que impeça o cliente de conduzir veículos de 26 toneladas com o novo motor de 7 litros.

“As comparações com o DC09 são relevantes, mas se tiver de carregar muitas vezes um veículo de três eixos até ao máximo da sua capacidade, um motor maior e as características que ele proporciona são, provavelmente, a opção certa,” diz Eng. “Talvez deva antes pensar num veículo de distribuição que possa começar o dia com um peso de carga bruta de 18 toneladas, mas que em breve passará para as 10 a 12 toneladas, após ter feito algumas entregas. Nesse caso é mais sensato não ter um motor com um desempenho desnecessariamente elevado, principalmente porque desse modo poderá poupar até 10% de combustível, segundo as avaliações da própria Scania. A nossa oferta inclui sempre a criação da solução certa, num diálogo com o cliente e com base nas suas reais necessidades.”

Personalizar a oferta, em termos dos serviços e do modelo de solução do veículo em si mesmo, com base nas necessidades, é a verdadeira paixão que faz mover a Scania. No entanto, para que seja credível, isso exige, na verdade, uma vasta gama de produtos. O facto de logo um ano após a apresentação da nova geração Scania existirem já 19 motores Euro 6 disponíveis para os clientes é uma prova clara de que a Scania pratica aquilo que apregoa.

“O nosso objetivo é sempre apoiar os clientes a serem rentáveis; mas isto, por sua vez, exige que, para começar, exista um elevado número de variantes de cabinas e motores,” afirma Eng. “É graças ao sistema modular Scania que podemos oferecer tantos motores e assegurar que proporcionamos sempre aos clientes a melhor economia de funcionamento total.”

Perfeição técnica
O DC07 baseia-se num bem conhecido motor, já utilizado em centenas de milhares de veículos diferentes. Este motor tem, por isso, a vantagem de ser um motor totalmente moderno, embora já tenha sido experimentado, testado e devidamente comprovado. O seu desenho poderia ser descrito como convencional, mas não é assim que Wingren o veria.
“Uma tecnologia complexa não deve nunca ser um fim em si mesma, mas para a Scania trata-se de criar valor para o cliente, sob a forma de baixo consumo, robustez e fiabilidade. É aí que este motor dá 100%.” refere Wingren.

Como diretor comercial da Scania, Eng trabalha segundo as mesmas linhas. “Com a gama de motores que já temos e juntando ainda o DC07, podemos oferecer soluções urbanas totalmente personalizadas para ainda mais aplicações, independentemente das necessidades específicas de cada cliente,” declara. “Nas interfaces entre as diferentes famílias de motores há até a possibilidade de escolher se os 280 CV pretendidos devem fazer-se acompanhar de um binário de 1200 ou de 1400 Nm, dependendo de, por exemplo, ser sensível ao peso e, por conseguinte, optar por um motor DC07.”

Túnel de motor baixo na série P
A introdução do DC07 significa também que poderá, a partir de agora, encomendar uma cabina P com um túnel de motor baixo, algo que já se tornou possível graças ao facto de o novo motor necessitar de menos espaço. A diferença – um túnel de motor que é 95 milímetros mais baixo – significa que a cabina se torna claramente mais arejada e que o potencial de movimento lateral é melhorado. O túnel mais baixo significa também que as cabinas P têm os mesmos compartimentos de arrumação que as cabinas G, além de que há novas opções para disposições com arrumação traseira e beliches.

“A diferença é maior do que à partida se pensa,” diz Eng. “Estamos convencidos de que muitos clientes que circulam exclusiva ou parcialmente em ambientes urbanos irão apreciar esta opção. Existem vantagens puramente práticas, mas também uma sensação de espaço e arejamento, desejáveis neste tipo de aplicações.”
O túnel de motor baixo das cabinas P exige a opção pelo novo motor de 7 litros e Scania Opticruise e pode ser selecionado com qualquer das cabinas P, independentemente do comprimento ou da altura do tejadilho.